“AMIGOS DE BABETTE” — VERGONHA ALHEIA

 

“A vergonha alheia é um sentimento de constrangimento ao presenciar alguma situação embaraçosa proporcionada por outro indivíduo que, normalmente, não percebe o quanto ridículo, estúpido, ignorante ou vergonhoso foi o seu ato.”

(Dos Significados)

 

“A inadaptação a um meio mórbido, por incapacidade ou recusa, é sinal de sanidade.”

(Trópicos Utópicos:

Uma perspectiva brasileira da crise civilizatória,

Eduardo Giannetti)

 

Carregar a certeza de não pertencer a algo me deixa leve. Ter a felicidade de abrir uma “gaveta de memórias” e encontrar o que me é precioso; as lembranças de momentos plenos de divertimento e deleite com as pessoas queridas, as minhas “afinidades eletivas” — isto sim traz o orgulho do verdadeiro pertencimento.

É nosso mestre Odair José quem nos ensina: “Na vida não existe felicidade; existem momentos felizes”. E a vida segue.

Por “discordâncias eletivas”, no entanto, fui obrigado a me afastar de um universo até então fundamental para o aconchego da minha alma.

Poder voltar a conviver com estes amigos, todos importantes, e cada um deles o construtor e guardião desta “gaveta de memórias”, traz-me novamente aquela felicidade perdida — o orgulho do verdadeiro pertencimento.

A todos os parceiros de divertimento, e em nome de nossa “gaveta particular”,

 

by Ronald Cavaliere 11/05/2019